terça-feira, 16 de abril de 2013

“Dia Mundial da Voz”, 16 de abril, comemorado ao longo da semana




Embora muitas vozes se ergam contra tais comemorações, advogando que para nada servem, o certo é que vozes adormecidas de alunos despertaram, deram vida às palavras. Sentiu-se a magia que só a palavra poética sabe criar. E foi dita em duas línguas: Português e Francês.

Os alunos do 7.º ano disseram o "Segredo" de Torga, sonharam com Gedeão e Sebastião da Gama, ousaram aflorar aos lábios Nemésio, inauguraram (uma vez mais) a palavra amigo com O'Neil, puseram-se em bicos de pés com David Mourão-Ferreira. Usaram a voz da forma mais sublime que se pode fazê-lo: com a poesia. Mas também o fizeram em Francês, numa língua que, para eles, é de iniciação; dizendo e cantando, superaram as expetativas.

Alunos do 10.º ano "disseram Camões", revivendo, entre outros, o contraditório sentimento do amor, sublimemente expresso pela pena do poeta, engrandecido por acompanhamento musical.

Alunos do 12.º ano interpretaram personagens d' Os Lusíadas e sorveram o sonho e o apelo irrecusável da Distância com Mensagem, pois também eles iniciarão uma nova etapa, em busca dos "beijos merecidos da Verdade". Orgulharam-se da sua voz nas vozes que nos trouxeram orgulho.

Em Literatura Portuguesa, os alunos apresentaram os seus projetos de leitura, os quais, ao projetarem a visão pessoal de ditos de vozes alheias, permitem avançar no conhecimento de si e do mundo.

A língua francesa voltou a ouvir-se por alunos do 11.º ano que fizeram ecoar as vozes de Piaf, Brel, entre outros. Valorizando vozes alheias, enriqueceram a sua. "On échange nos voix": uma atividade marcada por um intercâmbio de vozes que agradaram.

Os alunos de Área de Expressões narraram e gravaram lendas e contos da literatura tradicional e popular açoriana, mostrando a importância de um registo da voz, também ela um bem que (não) se pode perder.

Para alunos do 9.º ano, este dia trouxe uma outra experiência - "E se eu não tivesse voz?"- permitindo compreender que nem sempre é possível fazermo-nos entender sem a voz.

Duas alunas do 12.º ano, valorizando a voz de todos, dinamizaram um workshop sobre a leitura e a dicção, num absoluto respeito pela palavra e pela VOZ.

O texto não dá, certamente, conta de tudo o que as VOZES disseram, orientadas pelos professores deste departamento.

Coordenadora de Departamento: Matilde Meireles
Enviar um comentário